Precisamos falar sobre LIVE

No mês de março, o uso de lives no Instagram cresceu 70%, segundo dados divulgados semana passada pelo portal de notícias Business Insider. Causando um total de zero surpresas! Afinal, qualquer usuário da rede social teve seu feed de stories inundados de lives. E a situação, é claro, já virou até meme.

Live nas redes sociais vira meme

A “tendência” não se limitou ao Insta, encheu também o YouTube com lives de cantores (que mais se parecem super produções), Facebook e qualquer outra rede, que ofereça o recurso de transmissão ao vivo.

Live nas redes sociais vira piada entre internautas - KI Agência

Em meio a essa oferta excessiva de conteúdo fica o questionamento: vale a pena fazer lives agora? É sobre isso que vamos falar na news de hoje.

Bora?! Newsletter de marketing digital KI Agência - Tema: Live nas redes sociais

Antes de tudo, para evitar mal entendidos, é preciso esclarecer que não somos contra fazer lives. Muito pelo contrário, defendemos usar esse recurso na sua estratégia de marketing digital há muito tempo, como é possível conferir nesse vídeo aqui de 2018:

A chave para a questão que queremos pontuar aqui, está na frase anterior: ESTRATÉGIA.

Para ter estratégia é preciso antes de qualquer ação, ter clareza sobre:

📌 Quais são seus objetivos;

📌 Elaborar um planejamento;

📌Traçar metas (que possam ser medidas) e maneiras de acompanhá-las;

Sim, vai muito além de apertar o botão “ao vivo”.

Novamente, essa não é uma tentativa de fazer você desistir. Mas, de criar uma live mais assertiva. 

LIVE: FAZER OU NÃO FAZER, EIS A QUESTÃO!🤔

 

Agora que já refletimos, chegou a hora de finalmente decidir. Como os ninjas são objetivos, criamos um checklist para te ajudar a sair do subjetivo e descobrir de maneira prática (e estratégica) se você deve ou não fazer um live.

Responda honestamente às questões a seguir: 

  • O conteúdo que você irá produzir é útil para sua audiência?

Esse deve ser um critério para qualquer conteúdo que você produza, pelo simples motivo de: se seu conteúdo não é útil para sua audiência (leia-se persona), por que ela irá consumi-lo?

Mas, o que é um conteúdo útil, afinal? É aquele que pode ajudar a sua persona a resolver um problema que ela está enfrentando. O que nos leva a segunda pergunta…

  • Ele está contextualizado ao momento atual?

Vivemos um momento delicado, que não pode ser ignorado. Certamente ele está afetando de alguma forma a sua persona, e é exatamente nisso que você precisa focar.

Esse cenário exige uma atualização do critério de conteúdo útil para: como posso ajudar minha persona a resolver um problema que ela está enfrentando AGORA?

  • Está dentro da sua área de expertise?

Este critério já ficou implícito nos dois tópicos anteriores, mas é necessário falar dele como mais clareza. Não adianta o conteúdo ser útil ao seu público e ajudá-lo a resolver um problema atual, se ele não estiver relacionado a sua área de atuação. Por motivos simples: sua expertise está justamente no mercado, afinal, você vive ele 365 dias por ano. Logo, é sobre ele que você sabe e pode falar com autoridade.

Apoiar campanhas de conscientização e medidas de proteção é sim uma boa forma de posicionar sua marca, mas deixe a produção de conteúdo sobre cuidados e saúde para quem é especialista nisso: os profissionais de saúde.

  • Esse é um formato certo?

Por fim, mas não menos importante, para se comunicar é preciso ter alguém do outro lado, logo, sua audiência precisa estar lá para te ouvir. Investigue se live é um formato de mídia que a sua persona costuma consumir. Se sim, em qual rede social ela costuma assistir. Isso vai evitar um grande trabalho de produção, sem uma boa distribuição.

Não se esqueça: as lives estão em alta, mas talvez não seja o melhor formato de conteúdo para sua persona e para o seu negócio. Não é porque ela está em alta, que você precisar fazer. O importante mesmo é garantir que sua mensagem chegue a sua audiência, o formato é apenas um caminho. E existem vários! 

DICA BÔNUS: RESPEITE AS ORIENTAÇÕES DA ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE (OMS)

 

Parece óbvio e é, mas ainda assim é importante reforçar: seguir as orientações da OMS é fundamental. Os cantores sertanejos Jorge e Mateus, por exemplo, se envolveram em uma grande polêmica ao ter divulgada uma foto, que mostrava aglomeração de pessoas trabalhando nos bastidores de sua live. 

Por mais que posteriormente a dupla tenha se explicado e garantido não ter ocorrido aglomeração, a polêmica já estava formada. Por isso, todo cuidado é pouco na hora de pensar na produção de uma live, para que ela não vire um “tiro no pé” na imagem da sua empresa. Tenha isso em mente e siga a risca a cartilha de orientações da OMS. 

Live nas redes sociais, dicas de conteúdo - KI Agência

Gostou deste conteúdo? Ele faz parte da news que enviamos semanalmente. Quer receber gratuitamente as principais novidades do marketing digital na sua caixa de e-mail? Clique e inscreva-se na KI News !

Posts Relacionados